O “poder” das fake news!

Publicado em 17 de abril de 2020 | 10:39

O canal digital nunca foi tão importante como nos dias de hoje. Nesse período de isolamento social, em que somos obrigados a nos fazermos ausentes, são as redes sociais e aplicativos de conversas que nos salvam de um isolamento ainda maior.

Se algumas pessoas ainda não tinham o hábito de utilizar estes canais regularmente, agora essa prática se tornou indispensável.

Infelizmente essa ferramenta nem sempre é usada da forma correta, como deveria ser. Nesse momento em que o mundo está em desespero e as respostas para perguntas demoram para aparecer, aumentando ainda mais as dúvidas e incertezas, as fake news vêm disseminando informações mentirosas e que muitas vezes atrapalham o andamento de decisões e negligenciam informações sérias e importantes que são tomadas a todo momento.

Todos os dias depoimentos, vídeos, entrevistas sem procedência caem na rede e o usuário muita das vezes fica sem saber no que acreditar.

Uma pesquisa realizada pela Avaaz, plataforma de mobilização online, revelou que os brasileiros são os que mais acreditam em fake news no mundo. Segundo a plataforma, 7 em cada 10 brasileiros se informam pelas redes sociais e 62% já acreditaram em alguma notícia falsa.

Identificar uma notícia falsa não é uma tarefa fácil, porém, é crucial para que fake news não sejam disseminadas na era digital com um fluxo de informações rápidas. Para identificar este tipo de notícia é importante que algumas dicas sejam seguidas…

Não foque somente no título. Focar exclusivamente nele pode tirar o contexto da matéria e até mesmo a data de sua publicação. Muitos textos utilizam click bait, que é apenas para fisgar leitores e gerar acessos.

Desconfie de conteúdos extremistas e com informações vagas. Textos bem escritos e claros acompanham fontes e confirmam a possibilidade de aquela notícia ser verdadeira.

Com o poder das redes sociais, muitos vídeos e imagens são mais facilmente circulados do que links externos. Imagens e vídeos geralmente não possuem referências, portanto, é muito importante desconfiar deste tipo de conteúdo, pois ele se espalha de forma rápida. Confira sempre se existe alguma matéria publicada em sites confiáveis sobre aquele determinado assunto.

Ao verificar sempre se uma notícia foi publicada, verifique se ela pode ser acessada em diversos veículos de alta circulação e confiabilidade. Caso você compreenda inglês, verifique também se as informações internacionais foram publicadas por grandes veículos estrangeiros de grande influência.

Existe um site chamado boatos.org, onde é possível consultar se a informação recebida é fake news ou não. Nesse site foi criada uma seção sobre o Covid-19 para que o usuário possa consultar se o conteúdo que recebeu tem procedência ou não.

Antes de compartilhar alguma informação, verifique sempre, tire um tempo para validar aquilo que você está repassando, não compartilhe logo de cara. Sempre que tiver dúvidas sobre o conteúdo recebido, a melhor opção é não compartilhar.

Nesse momento em que estamos passando por este problema que afeta o mundo todo, disseminar notícias falsas nos prejudica ainda mais, pois muitas vezes não sabemos se estamos diante de uma verdade dos fatos ou de alguma notícia que vem para contribuir ainda mais para nos deixar fragilizados, causando uma histeria e um pânico desnecessários e que podem causar danos irremediáveis.

Na dúvida, é melhor não compartilhar! Na internet continua valendo a regra antiga do tempo dos nossos avós: se não tiver certeza, não passe a informação para frente.

Quando compartilhamos fake news podemos estar induzindo pessoas a cometerem erros.

Por isso, vamos lá! Vamos buscar informações em sites e plataformas confiáveis. Vamos compartilhar links e matérias que são produzidas por profissionais e empresas sérias. A informação nunca foi uma ferramenta tão importante quanto agora. Vamos valorizá-la como nunca fizemos antes.

 

 

O conteúdo dos textos das colunas do Portal são de inteira responsabilidade dos seus autores originais


Kika Fazollo

Formada em Logística pela UNOPAR, pós-graduanda em Marketing Digital pela Faculdade Governador Ozanam Coelho. Atuou por 15 anos em Marketing, Estratégias de Comunicação empresarial e ampliação de mercados, Gerenciamento de produção publicitária comercial em Agência de Publicidade, período em que coordenou e promoveu a divulgação tanto do Polo Moveleiro de Ubá, como da Femur (Feira de Moveis de ubá e região). Um case de sucesso deste período foi a criação da marca “Ubá - Móveis de Minas”, que ficou conhecida nacionalmente e até mesmo no mercado exterior. Atuou ainda no gerenciamento de uma loja de planejados na cidade de Ubá, por um período de quatro anos, o que lhe permitiu através do contato direto com o consumidor final interpretar e realizar sonhos de centenas de pessoas através de soluções em design e tendências. Desde 2016, a partir de sua experiência e visão macro, integra a equipe da Alternativa Editorial/Revista Móbile, levando ao mercado soluções em prestação de serviços e comunicação multiplataforma.

Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646