Como a pandemia mudou a relação das pessoas com a casa?

Camila Shammah, gerente de produtos da Camesa, aponta as principais transformações no lar durante o período de isolamento social

Publicado em 15 de outubro de 2021 | 08:00 |Por: Thiago Rodrigo

Com o cenário de quarentena, devido a pandemia do coronavírus, iniciado oficialmente em março de 2020, milhões de brasileiros mudaram suas rotinas para se adaptar à nova realidade em casa. Trabalho no estilo home-office, aulas virtuais, pedidos de comida via delivery passaram a fazer parte do nosso dia a dia e muitos outros hábitos, anteriormente realizados de forma presencial, acabaram sendo reorganizados para se adequar à vida doméstica.

Com isso, a residência deixou de ser somente um espaço para se alimentar e dormir e transformou-se em um local direcionado para todas as funções diárias. De acordo com uma pesquisa feita pelo site imobiliário QuintoAndar, 73% dos brasileiros passaram a enxergar os seus lares de uma forma diferente ao longo dos últimos meses.

Artecola tem nova identidade

“Uma das principais mudanças que pandemia trouxe foi a ressignificação do ambiente doméstico, com a valorização dos espaços e a busca das famílias por mais conforto e comodidade para as suas casas”, comenta Camila Shammah, gerente de produtos da Camesa, empresa especializada em artigos de cama, mesa e banho.

Ainda segundo a pesquisa, os principais fatores para a mudança nas residências estão relacionados à necessidade de um espaço para trabalho e estudos, o desejo por áreas mais verdes com plantas e jardim, locais mais adequados para o lazer e bem-estar e a importância de reforma para manutenção da residência. Isso se confirma no sucesso em vendas no segmento de cama, mesa, banho e decoração. Uma pesquisa realizada pela Ebit/Nielsen, mostra que o setor fechou o ano em alta e apresentou um expressivo crescimento no 1º semestre deste ano: 23,5%.

Mas quais de fato foram essas mudanças trazidas pela pandemia? Abaixo, a especialista, apontou as principais alterações que ocorreram na relação das pessoas com o lar durante o contexto de isolamento social. Confira:

Espaço 1001 utilidades

“A casa se transformou em um local com 1001 utilidades. Precisou ser adaptada para o dia-a-dia do home office, ou em uma sala de aula para as tarefas escolares e até mesmo academia para a prática de exercícios, além, claro, em um ambiente mais agradável para os momentos de descanso. Assim, o lar acabou se configurando como um espaço de múltiplas funcionalidades”, afirma.

Cozinha

O uso da cozinha aumentou consideravelmente durante a pandemia. Um levantamento feito pela Brain Inteligência Estratégica apontou que cerca de 27% dos brasileiros passaram a usar mais o cômodo durante o período. Segundo Camila, devido ao maior tempo no lar, as pessoas passaram a cozinhar mais e ter o hábito de se alimentar em casa, o que justifica o aumento na utilização do espaço.

Conexão com as tecnologias

A pandemia desencadeou uma aceleração no uso das tecnologias durante o período de isolamento social. “Cada vez mais os brasileiros adaptam o lar com recursos tecnológicos para maior conforto, praticidade e segurança”, comenta. Um dos exemplos é a otimização de eletrodomésticos e eletrônicos conectados à internet e que funcionam sob inteligência artificial.

Home Office

Milhões de brasileiros começaram a trabalhar em home office durante a quarentena. Com essa mudança, as pessoas precisaram reorganizar a casa para adquirir um local de qualidade para a execução de suas tarefas. A gerente destaca que ter um espaço próprio para o trabalho ajuda no bem-estar dos indivíduos e com a sua produtividade.

Saúde em casa

Neste período em casa, uma das principais mudanças no estilo de vida foi o cuidado com a saúde. Muitas pessoas adequaram ao ambiente para praticar exercícios e manter uma vida mais saudável e equilibrada. “Com isso, houve uma readequação das salas, garagens e quartos de forma que viabilizassem à realização das atividades físicas”, informa.

Conforto

Em busca de um espaço mais aconchegante e agradável, as pessoas passaram a dar mais atenção para os detalhes do lar. Assim, almofadas confortáveis para o descanso no sofá, cama com um bom jogo de lençóis e fronhas, edredom de qualidade para as noites de sono e toalhas macias e suaves na hora do banho passaram a ter mais importância após o início da pandemia. “O conforto foi uma das principais preocupações do brasileiro nesse período. Estar em casa com comodidade e bem-estar passou a ser indispensável no dia a dia dentro de nossas residências”, diz a especialista.

Decoração

A necessidade de estar mais tempo em casa voltou os olhos dos brasileiros para dentro de suas residências. Sendo assim, se observou o crescimento da procura por pequenas reformas no lar ao longo do período. Uma pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) registrou o aumento de 23,61% no número de vendas online de móveis e itens de decoração no primeiro semestre de 2020.

“Por estarmos grande parte do dia em nossos lares, passamos a reparar e se atentar muito mais a detalhes que, até então, eram despercebidos, como a rachadura na parede, o mofo no teto ou as roupas de camas já desgastadas. Com isso, se passou a cuidar mais da residência, deixando-a mais atraente, funcional e com a nossa personalidade”, analisa Camila.


Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646