Exportações de móveis registram alta de 36,9% em janeiro

Monitoramento das exportações mostra alta em comparação ao mesmo mês de 2021; exportações aos EUA crescem quase 90% em dois anos

Publicado em 19 de março de 2021 | 12:03 |Por: Thiago Rodrigo

Em meio às adversidades de um período que restringiu a economia, a produção e a mobilidade em todos os mercados ao redor do mundo, a indústria brasileira de móveis e colchões mostrou, mais do que nunca, sua força e potencial de expansão. Dando sequência à trajetória positiva do último ano, as exportações moveleiras em janeiro de 2021 apresentaram crescimento de 36,9% comparando-se a igual mês de 2020.

Os dados atualizados são do estudo “Monitoramento das Exportações” — parte do conjunto de ações mensais de inteligência comercial e competitiva do Projeto Brazilian Furniture, realizado pela Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Destaque para a exportação de estofados, que no primeiro mês do ano cresceu 47,4% na comparação com janeiro de 2020. Nas demais categorias monitoradas pelo estudo, os números também são animadores: colchões, 44,2%; móveis de madeira, 36%; e móveis de metal, 27,2%. Demonstrando, assim, oportunidades de internacionalização em todos os segmentos. exportações de móveis

Principais destinos

Ainda na comparação com igual período do ano anterior, durante o mês de janeiro de 2021 chama atenção o aumento significativo das negociações de empresas de móveis brasileiras com compradores dos Estados Unidos (57,4%), Chile (169,4%), Peru (85,1%) e Porto Rico (177,8%).

Movergs faz manifesto em prol do setor moveleiro

Do lado negativo, entre os dez principais mercados-alvos da indústria moveleira nacional, observou-se queda em dois mercados vizinhos: o Paraguai (-3,5%) e a Colômbia (-9,1%). Já as exportações para o Reino Unido, segundo maior destino dessa lista, cresceram abaixo da média, mas mantiveram-se positivas no início do ano (6,1%).exportações de móveis

Estados Unidos

Um dos principais mercados-alvos do Projeto Brazilian Furniture e maior destino dos móveis brasileiros no exterior, as exportações para os Estados Unidos tiveram um crescimento bastante significativo em termos de valor em 2020: US$ 270,2 milhões, representando um aumento de 12,1%. Se na comparação entre janeiro 2020-2021 o crescimento foi de 57,4%, como pontuamos acima, ao confrontar os números do primeiro mês deste ano com os do início de 2019, ano pré-pandemia, o crescimento chega a 88,9% nos últimos dois anos.

O dinamismo das vendas brasileiras para os Estados Unidos vem de antes do atual cenário da pandemia e decorre dos investimentos da indústria brasileira em sustentabilidade e design integrado à indústria, tornando os produtos mais competitivos. A título de curiosidade, vale ressaltar que o estado da Flórida é a grande porta de entrada para os móveis brasileiros no mercado americano. O Mapa Estratégico de Oportunidades nos Estados Unidos da Apex-Brasil, no entanto, revela que há ainda mais espaço para crescer.exportações de móveis

Exportações de móveis

Desde 2016, as exportações de móveis brasileiros para os Estados Unidos vem crescendo em um ritmo médio de 18,3% ao ano, bem acima dos concorrentes. Na análise da Abimóvel, a China é, atualmente, o principal competidor do Brasil. As disputas comerciais entre os dois países, porém, podem favorecer consideravelmente o mercado brasileiro.exportações de móveis


Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646