Sustentabilidade como marca e diferencial do mobiliário brasileiro

Abimóvel realizou webinar com o tema “sustentabilidade como fator de competitividade na indústria moveleira” e anuncia Plataforma Simb

Publicado em 12 de julho de 2022 | 07:00 |Por: Thiago Rodrigo

Com foco na sustentabilidade, “Projetar para o nosso futuro” foi a temática central do Salone del Mobile.Milano 2022, e não por menos. O impacto ambiental, econômico e social de todas as cadeias produtivas ao redor do mundo tem sido objeto de destaque na busca por soluções para minimizar pegadas negativas e melhorar as condições de vida para esta e futuras gerações. Pontos que conversam muito bem com os princípios e diferenciais da indústria brasileira do mobiliário.

A indústria moveleira brasileira está entre as que mais têm certificações que comprovam práticas de sustentabilidade em seus processos: cerca de 99% das empresas exportadoras de móveis têm algum tipo de certificação.

Entre elas, destacam-se certificações como o Carbono Zero e o FSC (Conselho de Manejo Florestal), que comprovam, por exemplo, a neutralidade de emissão de carbono, a origem da madeira empregada nos móveis e o impacto dos processos de produção no meio ambiente. Atestando a melhoria contínua da qualidade, agregando valor às marcas e produtos brasileiros e comprovando indicadores de práticas sustentáveis que atuam como normas padrões para exportação.

Com mais de 20 mil espécies de madeiras nativas, a madeira tropical brasileira é, sem dúvida, a grande protagonista da indústria e do design nacional, com suas qualidades físicas e visuais incomparáveis, que se destacam na alta decoração. Todavia, é importante ressaltar o uso industrial de madeira proveniente de reflorestamento e manejo sustentável, como Pinus e Eucalipto, que são usados como material renovável e reciclável, além de biodegradável.

A indústria de base florestal brasileira, aliás, desponta como uma das luzes para iluminar o caminho de uma economia mais verde. Um setor que, segundo dados da Indústria Brasileira de Árvores, o Ibá, planta 1 milhão de árvores produtivas todos os dias. Destinando 9,55 milhões de hectares para cultivos industriais e outros 6 milhões de hectares para conservação. Juntas, estas áreas têm potencial de estoque de 4,5 milhões de toneladas de CO² equivalente.

Ressaltando que em 2020, o setor de árvores plantadas, ainda de acordo com o Ibá, atuou em 30,9 mil hectares de áreas degradadas para recuperação com vegetação natural, um trabalho longo e meticuloso, que colabora também para a preservação da fauna e do fluxo hídrico. Dessa forma, mais de 80% dos móveis exportados são oriundos da madeira de florestas plantadas e adequadamente manejadas.

Por meio do Simb, a indústria brasileira de móveis também se apoia na tecnologia que permite recriar por meio de superfícies especiais diversos recursos materiais e únicos, como as madeiras nativas, texturas e elementos naturais como de rochas e minerais, além de couros e tramas, bem como a variedade de cores e padrões orgânicos que impulsionam nossa brasilidade.

E não são só as madeiras que provêm de origem reconhecida e têm um ciclo de vida sustentável nessa cadeia. As práticas responsáveis são tratadas com seriedade pelas empresas de móveis no Brasil, com a reutilização de resíduos sólidos, o uso de tintas e solventes à base d’água, polímeros biodegradáveis, a reciclagem de embalagens, etc.

Conheça a Plataforma Simb

A partir da credibilidade que essa postura responsável garante à produção industrial brasileira, a Abimóvel – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário e a ApexBrasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos desenvolveram o Programa de Sustentabilidade do Setor do Mobiliário, o Simb, no âmbito do Projeto Setorial Brazilian Furniture.

O Simb teve início em 2018, com o principal objetivo de promover a adoção de práticas sustentáveis na cadeia moveleira brasileira com adesão aos padrões internacionais. Aumentando, assim, a competitividade do móvel brasileiro no mercado interno e externo. No biênio atual, 2020-2022, a Abimóvel vem dando continuidade às atividades já desenvolvidas, construindo o denominado “Ecossistema do Programa Simb”.

Tal ecossistema é constituído de uma Norma Voluntária de Sustentabilidade, a NVS, em construção, que é uma iniciativa pioneira no setor moveleiro em âmbito mundial. A norma envolve indicadores das dimensões: econômica, ambiental, social, cultural e de governança.

Estando alinhada com as principais tendências mundiais, como: ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), GRI (Global Reporting Initiative), ESG (Environmental and Social corporate Governance), GEE (Gás de Efeito Estufa), ITC (International Trade Center), e outros. Nos próximos webinars vamos falar sobre ela.

Leia Móbile Fornecedores 318 que aborda o ESG

Para tornar essa norma efetiva, criou-se também a Plataforma de Sustentabilidade da Indústria Moveleira, ou seja, a Plataforma Simb. A partir do cadastro da empresa na plataforma e das respostas aos questionários voltados aos indicadores de sustentabilidade, a empresa poderá conhecer seu posicionamento em relação às práticas de sustentabilidade do setor. Se estiver ou quando estiver apta, poderá solicitar a Certificação e o Selo Simb.

Para se preparar para a obtenção da Certificação e do Selo Simb, a Abimóvel promoverá atividades de capacitação, como webinars, workshops e cursos. Além disso, estão em curso outras ações, voltadas para os mercados-alvo das exportações e para o inventário de Gás de Efeito Estufa (GEE) do setor.

Além disso, por meio do Simb, as empresas associadas têm acesso a estudos e diagnósticos do setor e práticas sustentáveis, orientações para aplicar boas práticas, acompanhamento e ferramentas aplicáveis, além de iniciativas de apoio e fomento que visam aproximar os elos da cadeia produtiva.

Dessa forma, gerando sinergias, potencializando as vantagens comparativas relacionadas ao setor de base florestal e promovendo maior consumo de madeira certificada de manejo florestal sustentável. São questões que colaboram para a maior inserção da indústria moveleira brasileira no mercado mundial, sobretudo agora, em que a produção e gestão sustentáveis colocam-se como um dos maiores critérios de competitividade global.

O Simb tem foco na expansão dos negócios e na internacionalização da indústria moveleira nacional por meio de três importantes pilares — melhoria da competitividade, design integrado à indústria e sustentabilidade.

Sustentabilidade como fator de competitividade

De fato, o mercado mundial tem preconizado a adoção de práticas sustentáveis e uso de materiais de fonte renovável nas mais diversas indústrias, incluindo a indústria moveleira. Isso tem criado barreiras e oportunidades para as empresas alinhadas às demandas nacionais e internacionais.

O uso de madeira certificada, da gestão ou de manejo sustentável é hoje uma obrigatoriedade para exportação de móveis de origem madeireira, bem como o não uso de substâncias não restritas, como é o caso de metais pesados. Isso tem exigido que as empresas para se tornarem mais competitivas adequem seus processos produtivos e a utilização de matérias-primas de acordo com esses novos padrões de mercado.

Foi justamente para falar sobre a “sustentabilidade como fator de competitividade na indústria moveleira” que a Abimóvel realizou e mediou, com apoio da ApexBrasil, webinar no fim de junho. Contribuíram para a discussão, ainda, especialistas das empresas Breton, MadeiraMadeira e Tramontina. O webinar pode ser conferido na íntegra em:

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas