Grupo Mulheres do Brasil alcança 100 mil participantes

Maior grupo político suprapartidário do País, presidido pela empresária Luiza Helena Trajano, alcança a marca de 100 mil mulheres inscritas, meta estipulada pela liderança há pouco mais de um ano

Publicado em 9 de dezembro de 2021 | 09:05 |Por: Sandra Solda

 

Um movimento suprapartidário fundado em 2013, com o objetivo de estimular a participação feminina na tomada de decisões em prol do desenvolvimento do Brasil, reúne mulheres de diferentes segmentos, classes sociais, origens e profissões, que trabalham por uma sociedade mais justa, menos violenta e com igualdade de oportunidades para todos e todas.

O Grupo tem sua atuação fundamentada em premissas que incentivam o engajamento da sociedade civil na luta pela defesa de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, pelos direitos humanos, pela liberdade de imprensa, pela igualdade racial, pela democracia, pela educação, pela saúde e pelo fim da violência contra as mulheres.

Definiu como metas globais de trabalho e ação: contemplar os pilares Saúde, Educação, Emprego, Habitação para o decênio 2022 a 2032; o projeto “Pula para 50” – que visa ampliar a representatividade feminina na política, com 50% dos assentos femininos no Congresso Nacional; e promover a “Ciência na Saúde”.

“Somos atualmente o maior grupo político suprapartidário do país! Isso significa que não estamos vinculadas a nenhum partido político, mas somos políticas sim, porque nos engajamos em pautas que são caras à sociedade. É um momento importante e de celebração para o Grupo Mulheres do Brasil, pois termos 100 mil mulheres unidas e trabalhando por um mesmo propósito é uma força muito grande, demonstra a nossa voz, que representa os anseios por um país e um mundo mais justo. Somente com a união da sociedade civil é que podemos fazer essa transformação”, afirma Luiza Helena Trajano, presidente do Grupo Mulheres do Brasil.

O Grupo se organiza em Núcleos Reginais localizados atualmente em 112 cidades brasileiras e 39 no exterior, representando 22 países, cobrindo todos os continentes do mundo. Segundo Lílian Leandro, Diretora Executiva de Expansão do Grupo, a ampliação desses Núcleos causou um impacto direto nesse número de participantes.

“Quando colocamos ‘essa sementinha’ em uma cidade, temos ali a chance de transformar e impactar o entorno e de mostrar, por meio de ações concretas, o poder de mobilização da sociedade civil, o poder do protagonismo da mulher e o poder do Grupo Mulheres do Brasil. Estar presente em todas as capitais do Brasil e em cidades de todos os continentes do mundo traz para o nosso Movimento uma capilaridade importante que contribui para o aumento do número de participantes”, explica Lílian Leandro.

Para a CEO do Grupo Mulheres do Brasil, Alexandra Segantin, atingir essa marca é apenas o primeiro degrau de um movimento que pretende buscar caminhos ainda mais longínquos e desafiadores. “A sociedade civil está preparada e consciente d a necessidade de lutar por causas e tomar a frente dos rumos frente às transformações que almeja para o país, e 100 mil é só o começo, vamos muito mais longe. Esse crescimento mostra que estamos mobilizadas. O país precisa que todos os cidadãos estejam juntos lutando e assumam a sua responsabilidade na construção de um mundo melhor. Desta forma vamos deixar um mundo melhor para as futuras gerações”, conclui Alexandra Segantin.

Como participar: todas as mulheres são bem-vindas ao Grupo Mulheres do Brasil, basta cadastrar-se pelo site www.grupomulheresdobrasil.org.br, em seguida, as novas interessadas receberão as instruções para participar das reuniões do Grupo.

grupo mulheres do brasil

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas