Ibevar projeta queda nas vendas do varejo em abril

Pesquisa prevê redução de 0,11% no Varejo Restrito e baixa ainda maior no Ampliado, de 1,48%, em relação a março

Publicado em 8 de abril de 2022 | 08:07 |Por: Sandra Solda

Projeções realizadas pelo IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo, mostram que as vendas do Varejo devem cair pelo segundo mês consecutivo. O Varejo Restrito deve cair 0,11% nas vendas desse mês em relação ao anterior, enquanto o Varejo Ampliado registra redução ainda maior de 1,48% no mesmo período, seguindo as estimativas realizadas pelo instituto em março. O Varejo Restrito integra os segmentos de combustíveis, lubrificantes, supermercados, alimentos, bebidas, vestuário, calçados, tecidos, móveis, eletrodomésticos, artigos farmacêuticos, materiais para escritório, papelaria, jornal e outros itens de uso pessoal e doméstico e o Varejo Ampliado considera também veículos, motos, peças e materiais de construção.

“Os resultados das projeções considerando a renda real das famílias, a taxa de juros e as variações sazonais mostram, infelizmente, um resultado pouco otimista para abril. As vendas tanto continuam mostrando tendência decrescente. A inflação é a principal razão que continua explicando esse movimento.”, diz Claudio Felisoni de Angelo, presidente do IBEVAR.

As projeções para Varejo Restrito mostram ainda que o cenário deve se repetir nos dois próximos meses: queda de 0,09% em maio em relação a abril e redução de 0,07% em junho em relação a maio. Em relação a abril do ano passado, as estimativas apontam queda de 2,63% e uma nova baixa de 0,50% no acumulado dos últimos 12 meses. Em maio, a variação mensal registra baixa ainda maior, de 4,38%, e segue a curva de recuo de 1,99% no acumulado. Para junho, as reduções continuam: 3,38% na variação mensal e queda de 2,69% no acumulado.

O Varejo Ampliado segue a tendência de baixa de 1,48% em abril, mas deve apresentar alta de 0,28% em maio e 0,44% em junho, em relação aos respectivos meses anteriores. No comparativo anual, o IBEVAR mostra que maio deverá ter uma queda de 7,77% em relação ao mesmo período de 2021 e nova baixa de 1,63% no acumulado dos últimos 12 meses. Em junho, a variação mensal registra baixa de 5,02% em relação ao ano passado e redução de 2,88% no acumulado.

O IBEVAR destaca que no Varejo Restrito, tecidos, vestuário e calçados são os segmentos que deverão registrar a maior queda em abril, com 16,97% em relação a março, seguido de livros, jornais, revistas e papelaria com 14,54%. Os dados apontam também que equipamentos e materiais de escritório, informática e comunicação mantêm-se estáveis nos meses de abril, maio e junho.

As estimativas são calculadas com base nos dados de série temporal coletados da Pesquisa Mensal de Comércio/IBGE.

 

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas