Jeito de morar: pesquisa aponta insatisfação com a casa

Por terem sido obrigados a trabalhar em casa e com as possíveis mudanças de escritórios híbridos, 59% dos brasileiros querem manter um espaço permanente de home office

Publicado em 7 de outubro de 2020 | 08:52 |Por: Cleide de Paula

O jeito de morar foi impactado pelo isolamento social. Com mais tempo dentro de casa e mudanças irreversíveis no mercado de trabalho pós-pandemia, a relação do brasileiro com seu lar ou com um possível novo lar mudou. Segundo pesquisa da Hibou, instituto de pesquisa e monitoramento de mercado, com 1537 entrevistas todo Brasil (55% mulheres e 45% homens das classes A, B e C em setembro/2020), o grau de insatisfação com a casa cresceu após o isolamento, 49% dos entrevistados está menos satisfeito com o local onde vivem, e ainda enfrentam aumento com a preocupação em condomínios, onde há áreas comuns.

40% acreditam que o uso das áreas comuns vai cair. As pessoas vão tentar levar suas atividades para dentro de casa. 83% disseram que os condomínios precisarão limpar e higienizar as áreas comuns com mais frequência.

A academia é a preferida dos brasileiros para continuar ativa após confinamento. 71% querem usar. Apenas 41% acha que o playground deve continuar a ser usado e 27% ainda pensam em usar a lavanderia coletiva.

Álcool gel à disposição dos moradores é o campeão da lista de necessidades dos brasileiros que vivem em condomínios. 81% quer o kit higiene em todos os espaços. 58% acham que é preciso melhorar a higiene e proteção na área de recebimento de entregas.

Família mais unida: 4 em cada 10 pessoas passaram a usar mais a cozinha de suas casas como ponto de encontro dos familiares

 

Sala de estar

Obrigados a ficar em casa, 57% dos brasileiros redescobriram a sala de estar e 36% o próprio home office. “Espaços confortáveis hoje estão no topo do desejo dos brasileiros para suas casas”. Aliás, o home office ganha lugar de destaque, já que 57% pretendem continuar trabalhando em casa. 59% acha que é melhor manter esse espaço de trabalho, mesmo quando puderem voltar a trabalhar fora. Vale comentar que 61% consideraria trabalhar em um escritório que ficasse no seu condomínio residencial, evitando assim deslocamentos desnecessários.

“A redescoberta da casa gerou hábitos que podem virar rotina e que também mudam as prioridades na hora de escolher um novo imóvel”, explica Ligia Mello, sócia da Hibou e coordenadora da pesquisa. 41% dos brasileiros querem manter a cozinha como ponto de encontro para momentos em família. 44% querem continuar acompanhando lives na internet. A internet, aliás, é prioridade, e a casa conectada está nos planos dos brasileiros: 41% gostaria que os imóveis já viessem com fornecimento de internet de alta capacidade e 30% acreditam que eletrodomésticos integrados já são um caminho sem volta.

D&D promove mostra home office. São 38 ideias de ambientes

Para futuros lares, o olhar do brasileiro está focado nos novos hábitos de higiene com alimentos. 81% concordam que a área de serviço precisa ser maior para os devidos cuidados com os alimentos que chegam da rua, e 66% hoje não têm espaço suficiente para guardar produtos de limpeza. Cozinha integrada com a sala continua interessando 45% acreditam que isso favorece um ambiente único para toda a família, mas 78% considera que ela merece um olhar especial para ventilação e exaustão.


Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646