Vinicius Benini, do Sindmóveis, fala sobre as expectativas para 2022

Presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves comenta as dificuldades de 2021 e as expectativas para o mercado no próximo ano

Publicado em 4 de janeiro de 2022 | 09:10 |Por: Sandra Solda

Em 2021, de janeiro a setembro, o setor moveleiro de Bento Gonçalves já faturou mais do que todo ano de 2020. Considerando o Rio Grande do Sul como um todo, o faturamento no mesmo período alcançou 98,8% da receita auferida em 2020. Há duas ponderações a fazer: a baixa base de comparação, principalmente no primeiro semestre do ano passado, em função da pandemia, e o aumento de preços dos produtos – reflexo da elevação do custo de produção. Mesmo assim, é importante frisar que o segmento demonstra evolução e poder de reação, que iniciou ainda no segundo semestre de 2020. Neste 2021, até setembro, a participação do polo de Bento no total do faturamento do RS cresceu para 29,1%. No ano anterior, essa proporção foi de 27,2%.

Nesse sentido, a expectativa é de que o setor volte a crescer em 2022, mesmo que em patamares menores. É importante que alguns entraves sejam superados, como a escassez de matérias-primas e insumos, que elevou o custo de produção do segmento e, consequentemente, os preços finais. Além disso, espera-se que a inflação seja controlada, que o Brasil volte a gerar emprego e renda e apresente evolução do PIB. O cenário é positivo, porém, se o contexto do País ficar mais favorável, vai contribuir positivamente para todos os setores – inclusive o moveleiro.

Ainda que existam situações que tendem a frear um pouco o consumo, como redução do auxílio assistencial, retorno ao trabalho presencial e aumento da Selic, entendemos que a perspectiva é de crescimento no varejo de móveis e eletrodomésticos. A proporção da curva ascendente provavelmente será influenciada pelo perfil de desempenho do País. Cabe frisar que muitos empreendimentos imobiliários estão sendo lançados e comercializados não só no Rio Grande do Sul como em todo o Brasil, gerando demanda por móveis a médio e longo prazo.

Para o novo consumidor, a excelência no atendimento, tanto na compra presencial quanto na virtual, está se tornando um fator decisivo tão importante quanto o preço. Isso se aplica desde a primeira abordagem de contato até a experiência de compra e o pós-venda.

Outra tendência, que na verdade já é uma realidade, é utilizar a internet. No formato omnichannel, diversas empresas marcam presença nos canais físicos e virtuais (loja própria e/ou marketplace) para chegar a cada vez mais pessoas, ampliando as possibilidades de venda. Já as marcas que optam por não vender diretamente pela internet podem aderir à estratégia Online-to-Offline (O2O), que utiliza os canais de comunicação digitais para atrair as pessoas até o ponto de venda e lá fecharem o pedido. Portanto, pode-se afirmar que os consumidores não apenas estão mais conectados como também mais exigentes por qualidade de atendimento.

No curto prazo, nossas energias como sindicato estão voltadas para os resultados dos nossos clientes na Movelsul Brasil, mas o Sindmóveis está em processo de revisão do seu planejamento estratégico. O viés da inovação é e sempre foi muito forte na entidade, bem como a leitura atenta dos movimentos do mercado, portanto, teremos novidades em 2022.

Digitalização da indústria, tecnologia da informação e inteligência artificial, por exemplo, são alguns dos temas que nossa equipe vem estudando para entender possíveis impactos e benefícios competitivos ao setor moveleiro. Além disso, analisamos constantemente os dados do mercado interno e externo para levar insights estratégicos aos nossos associados.

Por Vinicius Benini

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas