Via Varejo: denúncia de fraude contábil faz papéis despencarem

Ouvimos um especialista para entender o impacto das investigações no futuro da gigante varejista

Publicado em 13 de novembro de 2019 | 16:41 |Por: Everton Lima

No início da tarde desta quarta-feira (13), as ações da Via Varejo despencaram. O grupo controla gigantes do varejo nacional, como Casas Bahia, Ponto Frio e Extra. O motivo foi a confirmação de uma investigação interna que tem como objetivo verificar se a companhia sofreu fraude contábil.

A empresa veio a público, por meio de um comunicado, esclarecer que iniciou uma investigação para confirmar se as fraudes ocorreram. A investigação foi motivada por denúncias anônimas. Imediatamente, as ações da Via Varejo começaram a cair, chegando a uma desvalorização de 9%. A venda dos papéis chegou a ser interrompida.

– Pela 7ª vez, Colchões Castor conquista o Prêmio Época Reclame Aqui

– Varejo e atacado geram mais de 20 mil empregos em São Paulo

Situação da Via Varejo é incomum

O portal eMóbile ouviu o gestor de investimentos da Criteria Investimentos, Vitor Miziara, para entender como o dia de hoje poderá impactar o futuro da companhia a curto e médio prazo.

Miziara esclarece que a situação vivida pela Via Varejo hoje (suspeita de fraude contábil) não é comum no mercado financeiro brasileiro, apesar de não ser exclusividade da empresa. No começo deste ano, as ações da General Motors despencaram 15% na bolsa de Nova Iorque, depois de uma denúncia de fraude fiscal.

O gestor financeiro esclarece que este caso se trata de uma denúncia e que, até este momento, os auditores contratados pela empresa não encontraram irregularidades. A investigação foi dividida em duas fases. A primeira fase já foi concluída e a empresa iniciou a segunda — ainda sem data para ser finalizada.

Ainda assim, Miziara explica que enquanto essa situação não for esclarecida, a tendência é de que a Via Varejo tenha dificuldades no mercado financeiro. “A empresa caiu muito, pois ninguém sabia o que tinha acontecido, até que ela soltou um fato relevante informando que ela já estava investigando a denúncia e que não havia encontrado nada de significativo até o momento.

Denúncias se referem à gestão anterior

Em julho deste ano, a empresa demitiu doze executivos de seu alto escalão, substituindo-os por pessoas da confiança da família Klein — que retornou ao comando da companhia em 2019. Essas mudanças ocorreram após o Grupo Pão de Açúcar, até então o maior acionista da empresa, vender as suas ações. Portanto, as investigações de fraude contábil não se referem ao trabalho da nova gestão da empresa.


Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646