Curva de aprendizado: enxergue seu propósito

Como sair de um estado de mera “sobrevivência” e transformá-lo em “significado”

Publicado em 26 de agosto de 2019 | 11:01

O que empresas como Google, Amazon, Facebook, Netflix e tantas outras fazem diferente? Analisar suas práticas e inseri-las aos negócios é um dos grandes desafios que temos pela frente. No momento, velocidade e adaptabilidade são regras. Porém, enxergar o caminho que devemos seguir não parece tão fácil. Daí, a importância da curva de aprendizado.

Muitas vezes, acabamos “sobrevivendo”. Mas, e se pensarmos em um propósito de vida, algo que realmente traga significado e o que devemos fazer. A luta pela sobrevivência faz parte do instinto humano. Na maioria das vezes não estamos preparados para perder, mas isso soa muito raso. É como se estivéssemos fazendo “o mínimo necessário”. Um caminho dentro da zona de conforto, mas, com certeza não é o melhor a ser feito.

Ademais, muitas vezes, as decisões são tomadas em forma de reação, ou seja, em momentos de ímpeto, simplesmente copiamos aquilo que nos parece ameaçador. Sim, isso mesmo. Quando alguma empresa apresenta um produto que enxergamos como concorrente, a primeira reação que temos é pensar em fazer algo que “achamos” que vá competir com aquilo no mercado.

Parece familiar, não? Entretanto, isso é um grande risco. Vários fatores devem ser considerados. Além disso, quando fazemos algo que não fez parte de um processo de análise e preparação anterior, podemos cair em um caminho lento e moroso, exatamente porque aquilo está fora do conhecimento da empresa.

Design estratégico: entenda o que é e sua importância para os negócios

Aos olhos externos, nos parece que o concorrente está simplesmente fazendo mais um produto. O que não vemos é, que muitas vezes existe uma curva de aprendizado enorme. Enquanto você pensa que está fazendo algo bom através da cópia, o concorrente simplesmente se adapta e pensa em novas possibilidades rapidamente, como pode?

Exatamente porque existe a tal curva de aprendizado atrás de tudo. Talvez, se aproveitarmos essa energia para pensar em algo “baseado” nas boas práticas, mas, que seja autêntico, aproveitando tudo o que está acontecendo para desenvolver novos negócios, nos faça chegar a uma nova posição de mercado.

Hum, agora sim, estamos falando de um “ataque” que se preze, quando usamos todas as tendências a nosso favor. Temos empresas com enorme potencial para desenvolver grandes projetos. O que precisamos, sobretudo, é entender como fazer isso e quais são as prioridades.

Para você e a sua empresa, qual a prioridade? Se preocupar com o que o concorrente está fazendo, olhando apenas ao seu entorno, ou tentar ver aquilo que ainda não se enxergou?

O conteúdo dos textos das colunas do Portal são de inteira responsabilidade dos seus autores originais

Receba nossa Newsletter