Se focarmos na experiência, podemos tirar proveito desse momento

Aprendemos a duras penas que dá pra fazer a diferença de um modo diferente, basta saber dosar tudo e usar essa experiência a nosso favor

Publicado em 4 de agosto de 2020 | 10:54

Passados alguns meses do início de um momento de muitas dificuldades e incertezas que estamos vivendo desde março deste ano, onde várias indústrias, comércio e eventos de negócios foram paralisados devido à pandemia. Estamos diante de um cenário um tanto quanto inusitado.

De um lado o país atravessa a pressão de ‘lockdown’ em alguns estados e cidades, de outro, alguns relaxamentos e volta às atividades. Mas o que mais chama atenção neste momento, no entanto, é o movimento positivo de vendas que o setor moveleiro tem vivido nos dois últimos meses.

Sabemos que esse aumento nas vendas é reflexo de uma demanda reprimida e também graças à mudança de hábitos que possivelmente aconteceu por causa da permanência das pessoas em casa por mais tempo. Provavelmente se não tivéssemos em casa por tanto tempo, não estaríamos consumindo produtos de bens duráveis que estamos adquirindo hoje.

O home office também é o grande responsável por esse aumento no consumo de móveis, mas esse movimento não se dá somente devido a ele.

E por falar em home office ele caiu no gosto até dos mais conservadores. Esse modelo de trabalhar em casa surgiu nos Estados Unidos, quando tecnologias como a internet e a popularização do celular possibilitaram que pessoas pudessem trabalhar remotamente, de casa ou mesmo de cafés e outros locais. O modelo de trabalho remoto chegou ao Brasil, recentemente, na bagagem de empresas multinacionais, embalado como benefício no pacote de horários flexíveis. Alguns órgãos do Governo Federal também já praticavam o Home Office antes da pandemia.

Mas foi agora, nesse momento, que ele caiu no gosto do mundo corporativo. Devido à necessidade do distanciamento social, muitos trabalhos que antes nem se cogitava fazer a distância estão sendo executados agora dessa forma.

Um ponto muito positivo é a possibilidade de realizar reuniões de forma rápida, ganhando assim agilidade e contribuindo muito para que empresas tenham uma economia maior em relação a viagens e despesas. Só de imaginar que a gente nem pensava nessa possibilidade já vem um aprendizado incrível.

Sabemos que em algum momento tudo isso vai passar e tomara que seja o quanto antes, e o mais importante é sabermos aproveitar o que isso nos trouxe de aprendizado. Se por um lado esse distanciamento nos mostrou que podemos fazer e realizar muito à distância e com qualidade, não podemos nos esquecer que o corpo a corpo, a conexão entre pessoas, continua sendo muito importante para a geração dos negócios.

Então para tirarmos proveito disso vamos ter que aprender a equilibrar. Aprendemos a duras penas que dá pra fazer a diferença de um modo diferente. Então é saber dosar tudo e usar essa experiência a nosso favor.

E você, o que está tirando de proveito de tudo isso?

O conteúdo dos textos das colunas do Portal são de inteira responsabilidade dos seus autores originais

Receba nossa Newsletter