Primeiro dia da ForMóbile 2022 tem forte visitação

Espaço Maker é um dos destaques da feira, além das diversas palestras sobre o setor moveleiro no evento que segue até sexta-feira

Publicado em 6 de julho de 2022 | 11:56 |Por: Thiago Rodrigo

Começou ontem (05/07) a ForMóbile 2022 – Feira Internacional da Indústria de Móveis e Madeira, o ponto de encontro do setor moveleiro. O evento reúne indústria (de equipamentos e produtos), marceneiros, fornecedores e revendedores deste mercado.

Em sua nova edição, a maior e mais completa feira da indústria moveleira da América Latina, volta ao formato presencial e traz 500 marcas expositoras, além de palestras, oficinas e espaços para networking e negócios. Durante o primeiro dia de encontro, quem foi ao pavilhão do São Paulo Expo teve uma experiência completa, desde o estudo de novas matérias-primas e design, até a montagem do produto.

“Este primeiro dia de ForMóbile 2022 foi extremamente positivo em função da quantidade e qualidade do público visitante, que superou o registrado na última edição do evento, realizada em 2018”, analisa o show manager da ForMóbile, Tatiano Segalin.

“Recebemos profissionais de diferentes estados do país e até do exterior que vieram em busca dos lançamentos represados pela pandemia e pelo lockdown. A demanda é intensa por inovação, especialmente por soluções, seja nos processos industriais, seja nos produtos focados nas questões da sustentabilidade e eficiência. É exatamente isto que o mercado encontra na ForMóbile 2022”, acrescenta.

Indicadores do setor moveleiro

Laercio Comar, CEO da AddeMonitor – Indicadores Comerciais, apresentou, no Palco ForMóbile, os mais novos indicadores para a indústria moveleira. De acordo com ele, o desafio do setor é driblar a alta da inflação, que atinge tanto as empresas quanto os consumidores no mundo todo.

“O fator pandemia causou desestabilidade, o que culminou na alta da inflação. Uma empresa que faturava R$ 1 milhão antes, hoje fatura R$ 1,4 milhões, porém, o seu custo de produção e seus gastos também cresceram. Hoje, para R$ 1 milhão de faturamento é necessário mais de R$ 1,6 milhões de capital de giro”, explica Comar.

Ainda assim, o especialista comenta que os indicadores são positivos, pois a produção atual já é maior do que a registrada antes da pandemia. O faturamento de empresas do ramo também cresceu. De acordo com dados da AddeMonitor, o setor moveleiro registrou no mês de maio de 2022 aumento de 3% no faturamento em relação ao segundo semestre de 2019.

Laercio ressalta que é importante que os profissionais conheçam quem é o público e fiquem restritos às tendências de nicho. “Sempre me perguntam qual o melhor nicho do segmento. Trouxe aqui uma análise que mostra que o crescimento é praticamente igual quando se fala de cozinhas e dormitórios. O melhor segmento é aquele que você conhece bem e faz. Conheça seu público, veja quanto ele ganha e quanto da renda dele pode ser comprometida com móveis. Em geral, o brasileiro gasta 1,4% de sua renda com mobiliário. O valor tem peso diferente de acordo com a renda, porém, mostra que temos um grande espaço para explorar e crescer”, diz. O palestrante alerta que os meses de julho e agosto são cruciais para a busca ativa de clientes e fechamento de negócios por antecederem as eleições.

Espaço Maker da ForMóbile 2022

Dedicado para quem quer aprender técnicas especializadas e conferir o trabalho dos principais profissionais do setor, o Espaço Maker realizará, durante todos os dias de encontro, oficinas práticas de marcenaria.

A abertura do espaço foi marcada por uma homenagem ao fundador da Stopa Lab, Daniel Stopa, que faleceu em 2020. Na ocasião, Letícia Saba, sócia do projeto, colocou um quadro com a foto de Daniel na parede de ferramentas do Espaço Maker.

“Esse era o sonho dele, então ele vai continuar aqui junto conosco. Vamos dar continuidade ao seu legado realizando esse lindo trabalho de transmitir o conhecimento da marcenaria”.

Letícia é maker e trabalha com restauração. Ela trouxe para a feira uma bancada de trabalho que restaurou. “Comprei essa mesa em um site de itens usados. Ela tem por volta de 90 anos e é feita de madeira maciça. Fiz um trabalho de restauro preservando o formato original, que conta a história da peça”, explica.

Veja grade de palestras do evento

Para inaugurar a área, João Batista, do projeto FazAki, ensinou a montar, de forma rápida e prática, uma versátil bancada para marceneiros. O FazAki é um coworking de marcenaria e forjamento em São Paulo que abre espaço para diversos makers concretizarem seus projetos mesmo sem terem uma oficina própria. A ideia surgiu quando Batista se aposentou.

“Faz um ano que estamos abertos. Decidi ter a marcenaria como hobby para aliviar a tensão causada pelos anos de trabalho, porém, logo percebi que, assim como eu, muitas pessoas vivem em apartamentos e não têm espaço físico para uma oficina de marcenaria. Por isso decidi criar esse coworking, onde oferecemos cursos, aluguel do espaço por hora e salas para residentes fixos”, conta João.

Por cerca de uma hora, o marceneiro e mais dois ajudantes ensinaram a montar uma estação de trabalho do zero. O material utilizado foi madeira de reflorestamento em compensado naval de 18 centímetros de espessura. O mobiliário contou com rodízio para facilitar o transporte, e aberturas no tampo para o encaixe de ferramentas.

Oficina Entalhe Geométrico

À tarde, foi a vez da arte ganhar espaço. A oficina “Entalhe Geométrico”, de Carlos Eduardo Nohara – influencer e professor do Stopa Lab – trouxe vários modelos da técnica. Nohara contou que o encontro com a marcenaria criativa fez com que ele superasse uma depressão.

“Tentei muitas experiências em minha vida, uma delas foi trabalhar no Japão, mas a depressão sempre me acompanhou. Um dia encontrei um pedaço de madeira peroba jogada em uma caçamba e decidi recuperar aquela peça. Daquele dia em diante não parei mais e, logo depois, me aperfeiçoei em entalhe”, explica.

Para um bom trabalho nesta técnica, Nohara enfatiza que a tríade do sucesso é composta por paciência, ferramentas próprias e conhecimento. “O erro faz parte da construção do marceneiro. Não tenha medo de errar. Pesquise os materiais e técnicas adequados e insista. A marcenaria me salvou e pode salvar você também. Mas, lembre-se: a chave de tudo é a paciência”.

Durante a oficina, o professor entalhou uma peça de cedro em formato geométrico. Para o estande, Nohara levou alguns trabalhos como um enovelador, uma peça feita exclusivamente para tricoteiras.

Rodada de Negócios na ForMóbile 2022

Espaço exclusivo para importadores de diversos países participarem de negociações com empresas fornecedoras do setor moveleiro durante todo o evento. O espaço, montado especialmente para este networking, é chamado de Projeto Comprador. Ao todo, serão onze países envolvidos diretamente nesta ação: África do Sul, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Vietnã.

O projeto é promovido pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), e visa fomentar as exportações de fornecedores da indústria nacional de móveis, apoiando a internacionalização destes.

Atualmente, 52 empresas participam – entre fornecedores de insumos, componentes, acessórios, químicos, máquinas e softwares para o segmento de móveis – negociando 138 tipos diferentes de produtos com quase 100 países.

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas