Setor moveleiro de Linhares cresce em 2020 mesmo com a pandemia

Números apontam um crescimento próximo dos 40% em relação ao ano anterior, com 140 novos postos de trabalho

Publicado em 22 de janeiro de 2021 | 10:38 |Por: Thiago Rodrigo

Superando até mesmo as previsões mais otimistas, em um ano marcado por uma pandemia, o setor moveleiro de Linhares cresceu em números ainda a serem consolidados. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário de Linhares e Região Norte do Espírito Santo, Sindimol, Bruno Barbieri Rangel, o aumento foi de cerca de 40%, além de 140 novas vagas de emprego, 17% a mais em relação ao ano anterior. Para ele 2020 foi um ano totalmente atípico.

“Ainda estamos contabilizando os números, devemos ter o fechamento total no início de fevereiro, mas estamos próximos de um crescimento de 40%, o que é excelente quando analisamos as expectativas do início do ano. 2020 foi sem dúvida um ano totalmente atípico para indústria moveleira”, esclarece Rangel.

Sindicato de Mirassol comenta aumento de ICMS para móveis

O presidente lembra que em virtude do cenário político nacional, 2020 começou sem grandes expectativas de crescimento em relação a 2019. Naquele ano o setor cresceu menos de 10%. Por isso, fazer qualquer previsão ficou ainda mais difícil com a chegada da pandemia, porém, a partir do segundo semestre, ocorreu uma bolha de consumo que se manteve até o final do ano.

“Os meses de março e abril, com a chegada da pandemia, e as incertezas sobre o Covid-19, provocaram a suspenção nas operações, tanto na indústria como o comércio, gerando queda nas vendas e demissões. A partir do segundo semestre verificamos uma bolha de consumo no setor moveleiro, que trouxe novas expectativas. No fim do ano, algumas empresas ainda mantinham ritmo acelerado de produção”.

Setor moveleiro de Linhares

Vitor Guidini, gerente comercial da Cimol Móveis, especializada na produção de salas de jantar, explica que a demanda do mercado surpreendeu. Com efeito, está, em parte, o auxílio emergencial do governo federal. “A demanda foi realmente surpreendente, não só para nós, mas para todas as demais empresas do polo. Crescemos entre 30% e 40%, e o auxílio emergencial com certeza ajudou muito nesse consumo de 2020”, destaca Vitor.

Sebrae quer alavanar setor moveleiro da Serra Gaúcha

Empresário do ramo de marcenaria Andremar Brizon diz que em seu segmento, o de móveis por encomenda, o crescimento também chegou à casa dos 40%. Isso devido ao aumento dos números da construção civil. “Mesmo com todas as dificuldades impostas pela pandemia o número de obras aumentou, e o setor de marcenaria acompanhou. Foi um ano de muita superação, reinvenção, mas bastante produtivo”, esclarece Brizon.

2021 ainda é de incertezas

“Manteremos a cautela”, diz Bruno sobre este ano. Para ele a chegada da vacina traz esperança, especialmente para o segundo semestre, período tradicionalmente bom para indústria moveleira, mas é preciso se manter atento aos movimentos da economia do país.

“A questão da vacina nos permite enxergar um horizonte um pouco mais tranquilo, principalmente no segundo semestre. Porém, vamos manter uma rotina de análise constante do cenário econômico para tomarmos as medidas mais acertadas possíveis”.

(com informações de assessoria)


Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646