Setor moveleiro recua 28,4% no 1º trimestre

Abimóvel divulga resultados do fechamento do 1º trimestre para o setor moveleiro nacional; março avança em relação a fevereiro

Publicado em 27 de junho de 2022 | 07:41 |Por: Thiago Rodrigo

Em um período de oscilações econômicas e de estabilização de diversas atividades sociais que impactam na produção e no consumo no Brasil e no mundo, o setor moveleiro não tem ficado imune às variações de mercado, tendo demonstrado, no entanto, resiliência no fechamento do primeiro trimestre deste ano. O volume produzido de móveis em março de 2022 foi de 29,3 milhões de peças. Número que representa um avanço de 11,5% sobre o mês anterior.

Ainda assim, no acumulado de janeiro a março de 2022 sobre igual período em 2021, quando o mercado moveleiro ainda se mostrava bastante aquecido sob influência do isolamento social e do Auxílio Emergencial, o recuo é de 28,4%. Já nos últimos 12 meses, soma-se uma queda acumulada de 13% no montante produzido pelo setor moveleiro.

Móbile Talks com transformação da Viero Móveis

O consumo aparente de móveis e colchões no mercado interno foi de 28,1 milhões de peças no mês de março sobre fevereiro. Resultado que representa um aumento de 11,8% na variação. No acumulado do primeiro trimestre, como é de se esperar, observa-se queda, desta vez de 29,8%. Nos últimos doze meses foi registrado uma queda de 14,7% no consumo doméstico de móveis e colchões no Brasil.

A participação dos produtos importados sobre o consumo interno nacional, por sua vez, foi de 2,8% em março de 2022. Vale pontuar, aliás, que o Brasil importou cerca de US$ 15,8 milhões em móveis e colchões em março de 2022. Uma queda de 0,9% na comparação com fevereiro. Já no mês seguinte, em abril, as importações apresentaram queda bastante significativa na comparação mês a mês: – 45%, atingindo o montante de US$ 8,7 milhões.

Quando falamos nas exportações de móveis e colchões brasileiros, em contrapartida, no terceiro mês do ano foram exportados o montante de US$ 71,6 milhões. Crescimento de 3,8% sobre o mês anterior. Em abril, contudo, houve queda de 7,8% sobre março, atingindo US$ 66 milhões.setor moveleiro no primeiro trimestre de 2022

Investimentos no setor moveleiro

Fechando o primeiro trimestre de 2022, ainda, as importações de máquinas para fabricação de móveis apresentaram queda de 21% no acumulado do ano. Alguns segmentos, no entanto, apresentaram crescimento expressivo nesse período. São eles:

Máquinas para fender, seccionar e desenrolar (+173,8%)
Máquinas-ferramenta para madeira (+56,1%)
Outros (44,0%)
Máquinas para furar ou escatelar (+32,8%)setor moveleiro no primeiro trimestre de 2022

Emprego na indústria moveleira

Mantendo seu compromisso social e econômico, ainda, o volume de emprego na indústria de móveis apresentou aumento de 0,2% em março, no comparativo com o mês anterior. No acumulado de janeiro a março de 2022 também houve avanço, +0,8%. O aumento no volume de emprego nos últimos 12 meses chegou a 4,7%. A média salarial mensal teve aumento de 1,8% na passagem de fevereiro para março, chegando ao patamar de R$ 1.577,91.

Varejo de móveis e colchões

No varejo, as vendas em volume de peças apresentaram avanço de 11,8% em março no comparativo com fevereiro de 2022. No acumulado do trimestre, o indicador registrou uma variação negativa, na ordem de -1,4%. E nos últimos 12 meses, a queda no volume de vendas de móveis e colchões no varejo nacional foi de 3,2%.

Tratando-se da receita de vendas no período, em março houve aumento no comparativo com o mês anterior: +13,5%. Resultado que se reflete no acumulado dos três primeiros meses do ano, com o comércio de móveis e colchões no Brasil crescendo 12,2% no período sobre iguais meses em 2021.setor moveleiro no primeiro trimestre de 2022

Nos últimos 12 meses o avanço no faturamento da categoria no varejo é de 8,2%, acompanhando a alta nos preços dos produtos acabados devido, entre outros motivos, à escalada inflacionária que atinge todas as etapas da cadeia moveleira.

Por falar nisso, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE – Instituto brasileiro de Geografia e Estatística, os preços nacionais de mobiliário apresentaram aumento de 1,60% em abril de 2022 frente ao mês anterior. No acumulado do ano, o índice registra acúmulo de 8,51%.

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas