Varejo de móveis e eletrodomésticos cai em maio

Comparativo de maio com maio de 2021 registra queda tanto em móveis e eletrosdomésticos quanto apenas móveis; receita nominal também cai

Publicado em 21 de julho de 2022 | 07:00 |Por: Thiago Rodrigo

O varejo de móveis e eletrodomésticos caiu 3% em maio após crescer em abril. Em relação a maio de 2021, o varejo de móveis e eletrodomésticos teve uma queda ainda maior que no mês anterior: 12,6%. Nessa mesma comparação, apenas móveis registrou queda de 9,5%, enquanto eletrodomésticos tiveram queda de 14,5%.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE. Os dados de volume de vendas não mostram o segmento de móveis separado de eletrodomésticos na comparação com o mês anterior.

No acumulado até maio, ao passar de -6,9% até abril para -8,2% no mês de referência, a atividade mostra intensificação de perda de ritmo. No acumulado nos últimos 12 meses, o resultado foi de -14,3% em maio, oitavo consecutivo registrando queda e menor valor desde outubro de 2016 (-14,4%).

“Móveis e eletrodomésticos é uma atividade que não superou seu patamar pré-pandemia, pois ao longo de 2021 teve perdas consideráveis. Durante a pandemia, esses itens tiveram um ganho importante devido às substituições que as pessoas fizeram pelo fato de estarem mais em casa. Após essa demanda extraordinária, esses produtos passaram a ter menos importância no orçamento das famílias, sobretudo eletrodomésticos”, analisa o gerente da PMC, Cristiano Santos.

Receita nominal do varejo de móveis

Na receita nominal de vendas do comércio varejista e comércio varejista ampliado, o varejo de móveis e eletrodomésticos caiu 1,9% comparado ao mês anterior. Em relação ao mesmo mês de 2021, a receita nominal de móveis e eletrodomésticos teve queda de 0,1%, bem inferior à comparação de março que tinha alcançado 21,8%. Considerando apenas o segmento de móveis no mês de abril de 2022 x abril de 2021, registrou-se variação positiva de 4,5%, menor que os 24,3% do comparativo de março.

Varejo geral

O volume de vendas do comércio varejista no país variou 0,1% em maio, na comparação com o mês anterior, registrando a quinta taxa consecutiva no campo positivo – 2,3% em janeiro, 1,4% em fevereiro, 1,4% em março e 0,8% em abril. Com isso, o patamar do setor está 6% acima do menor patamar dos últimos meses, que foi em dezembro de 2021. No ano, o varejo acumula crescimento de 1,8% e nos últimos 12 meses, queda de 0,4%.

Indústria moveleira desacelera em abril

“Este resultado mostra um cenário de estabilidade na passagem de abril para maio. Mas, apesar de vir de quatro resultados positivos, as taxas foram decrescentes. Observamos uma retomada no comércio varejista, mas que vem de uma base baixa, dezembro, e sempre fazendo um acúmulo menos intenso ao longo desses meses”, ressalva o gerente da PMC, Cristiano Santos.

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas