Ibá reforça protagonismo mundial do setor brasileiro de árvores

Entidade esteve presente no XV Congresso Florestal Mundial, da FAO, na Coreia do Sul, realizado esta semana, apresentando biodiversidade do setor

Publicado em 6 de maio de 2022 | 08:00 |Por: Thiago Rodrigo

Representantes da entidade terão protagonismo em painéis de discussões e irão apresentar, pela primeira vez no exterior, o Caderno de Biodiversidade e o Relatório sobre Recursos Hídricos, além de boas práticas do setor, como na capacitação em diversidade e inclusão

Entre os dias 02 e 06 de maio, a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) reforçou o protagonismo do setor brasileiro de árvores cultivadas no mundo, ao ter participação de destaque no XV Congresso Florestal Mundial, organizado pela FAO (Organização para Alimentação e Agricultura), órgão da ONU, a realizar-se em Seul, na Coreia do Sul.

Produção de móveis tem queda em março

Nas apresentações da Ibá, destaque para temas como mudanças climáticas, recursos hídricos, biodiversidade, ESG, inclusão e diversidade, dentre outros assuntos muito trabalhados pelo setor de árvores cultivadas.

Em eventos oficiais organizados pela Ibá com seus parceiros, houve o lançamento mundial do Caderno de Biodiversidade do Setor de Árvores Cultivadas 2022 e a apresentação, para o público internacional, do Relatório sobre Desempenho na Gestão de Recursos Hídricos.

Além disso, a entidade compartilhou sua experiência na agenda da capacitação em diversidade e inclusão, tal como vem realizando com as empresas associadas e entidades parceiras no Brasil, em prol da criação de um ambiente no setor com mais equidade e oportunidades.

Caderno de biodiversidade

Inédito, o levantamento do Caderno de Biodiversidade apresenta o registro de 8.310 espécies, entre fauna e flora, dentro do monitoramento de 23 empresas associadas, distribuídas em cinco biomas: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pampa. Os principais grupos monitorados incluem aves, mamíferos, anfíbios e répteis. Considerando a flora, foram 5.450 espécies reportadas.

Além disso, o setor de árvores cultivadas identificou mais de 335 espécies que são classificadas como ameaçadas de extinção pelo ICMBio. O relatório também traz informações sobre monitoramento da biodiversidade, restauração, serviços ecossistêmicos, parcerias com apicultores e cases de sucesso das empresas de base florestal.

Os índices evidenciam o êxito das estratégias de corredores ecológicos, assim como outras práticas sustentáveis de manejo, que contribuem para uma agenda positiva pela conservação da biodiversidade.

Relatório sobre a água

O relatório “Cuidar da água é cuidar do futuro de todos” conta com mais de 10 indicadores de desempenho que demonstram como o setor cuida desse recurso natural essencial para o planeta. Dividido em três categorias, os indicadores florestais buscam identificar as práticas de manejo mais adotadas pelas empresas no campo, como o monitoramento da qualidade e quantidade de água.

Já os indicadores industriais apresentam os números de reuso do setor, bem como mostram que a maior parte da água captada retorna para os rios. Os dados corporativos, por sua vez, refletem o constante diálogo com vizinhos e comunidades, tendo em vista a sustentabilidade efetiva das atividades, com o indispensável compartilhamento de valor.

Além disso, os representantes da Ibá foram convidados para representar o setor em eventos paralelos, mesas redondas, moderar debates, apoiar na organização de diversas discussões e outras atividades do Congresso. Serão ao todo oito eventos, entre plenárias principais, side events e reuniões de alto nível.

Setor brasileiro de árvores cultivadas

O Embaixador José Carlos da Fonseca Jr., diretor executivo da Ibá e cofacilitador da Coalizão Brasil, Clima, Florestas e Agricultura, participou também de importante evento organizado pela UNFF (Fórum de Florestas da ONU): “Em Seul teremos oportunidade valiosa para discutir o papel das florestas em geral, inclusive as cultivadas, assim como as questões socioambientais e econômicas que interessam ao setor e ao Brasil. Merece registro, igualmente, a importância de que se reveste o convite à equipe da Ibá para participar de tantos eventos e debates relevantes, sobretudo no atual contexto de inegável desgaste da imagem internacional do Brasil, na área da sustentabilidade”, explica o executivo.

O evento, que ocorre a cada seis anos, é um fórum para a troca de experiências sobre todos os aspectos das florestas e silvicultura, em nível global. Estiveram presentes stakeholders de todo o mundo, para analisar os principais desafios, a fim de produzir posicionamentos que poderão nortear o desenvolvimento de políticas florestais e boas práticas corporativas em todo o setor florestal mundial.

Top Móbile tem data marcada

Foi uma oportunidade para a comunidade florestal global considerar o estado presente e também o futuro das florestas, particularmente no contexto da recuperação pós-pandemia da Covid-19, na medida em que se prepara para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Agenda 2030) e outros acordos importantes (Objetivos Florestais Globais, Acordo de Paris, Metas de Biodiversidade no âmbito da Convenção da Diversidade Biológica).

Aproveitando o encontro global, o ICFPA (International Council of Forest and Paper Associations) realizou, no dia 30 de abril, a sua reunião anual da diretoria. Na mesma data, o ACSFI (Advisory Committee on Sustainable Forest-based Industries), órgão estatutário da FAO composto por executivos internacionais do segmento privado do setor de florestas, igualmente reunirá seu Conselho Deliberativo, em agenda a ser presidida pelo Embaixador José Carlos da Fonseca Jr.

Além dessas atividades paralelas ao WFC, a equipe da Ibá cumpriu densa agenda de reuniões e contatos com várias lideranças do setor, inclusive membros do TFD (The Forests Dialogue), com dirigentes de sistemas internacionais de certificação florestal, como FSC e PEFC, além de representantes de ONGs e do meio acadêmico.

Debates destacados

– 30/04, das 9h às 12h30 (KST) / 29/04, das 21h às 00h30 (BRT) – Reunião Anual do ICFPA

– 30/04, das 14h às 17h (KST) / 30/04, das 02h às 05h (BRT) – Reunião Anual do ACSFI

– 02/05, das 12h30 às 14h (KST) / 02/05, das 00h às 02h (BRT) – Plantações florestais e água: compartilhando experiências de responsabilidade na escala da paisagem (evento organizado em parceria da Ibá com o IPEF e o Diálogo Florestal. Ibá fará apresentação do relatório de desempenho de Água). Ponto focal Camilla Marangon.

– 03/05, das 11h às 19h (KST) / 03/05, das 23h às 07h (BRT) – Private Sector Investment Forum Investimentos sustentáveis em florestas: pessoas, lucro e natureza (Nathalia Granato foi a Mestre de Cerimônias e José Carlos Fonseca foi a moderação do painel “Compromissos do setor florestal com a restauração do ecossistema”). Ponto focal Nathalia Granato.

– 03/05, das 17h30 às 19h (KST) / 03/05, das 05h30 às 07h (BRT) – Dados desagregados por gênero no setor florestal (Ibá apresentou das iniciativas da associação). Ponto focal Nathalia Granato.

– 03/05, das 18h30 às 20h (KST) / 6h30 às 08h (BRT) – Programas de monitoramento realizados por empresas do setor de florestas plantadas e seu papel na conservação da biodiversidade (evento organizado pela Ibá para lançamento do caderno de biodiversidade) Ponto focal foi Patricia Machado.

– 04/05, das 09h às 11h (KST) / 03/05, das 21h às 23h (BRT) – Madeira – a matéria-prima mais antiga que nos leva ao futuro (Ibá apoiou a organização do evento, pela FAO). Ponto focal foi Nathalia Granato.

– 04/05 – das 11h às 12h30 (KST) / 03/05, das 23h às 00h30 – Parcerias e colaboração para o manejo florestal sustentável (Ibá apoiou na organização e representante da Ibá falou em painel)

– 04/05, das 14h às 15h30 (KST) / 04/05, das 02h às 3h30 (BRT) – O papel das Florestas na recuperação pós-covid-19: reimaginando o futuro das florestas (Ibá teve fala em painel). Ponto focal Camilla Marangon.

– 06/05, das 10h às 11h30 (KST) / 05/05, das 22h às 23h30 (BRT) – Biossegurança florestal como responsabilidade compartilhada (Ibá teve apresentação). Ponto focal Patricia Machado.

Pôsteres apresentados

– Sectoral performance of water management in plantations-based industry (Camilla Marangon)

– How Brazilian Tree Industry can help compling with climate change agenda linked to Sustainable Development Goals, Global Forest Goals and Brazilian NDC under Paris Agreement (Nathalia Granato)

– Circular (bio) economy of Brazilian planted-forest based industry: a successful case towards a sustainable, inclusive and innovative green path (Patricia Machado)

– Multiple uses of forest biomass as nature-based solution in order to increase the share of green and renewable energy at the energy matrix of several industries (Nathalia Granato)

– Brazilian planted trees industry and biodiversity: a case of success (Patricia Machado)

Receba nossa Newsletter

    Matérias Relacionadas