COVID-19 faz vendas no Varejo caírem 11,7% em março

Os setores mais prejudicados são Serviços e Bens Duráveis

Publicado em 23 de abril de 2020 | 13:35 |Por: Everton Lima

Com a propagação da COVID-19, as vendas no varejo brasileiro recuaram 11,7% em março, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o ICVA apresentou queda de 9,7%. É o resultado mais negativo apurado pelo índice desde sua criação em janeiro de 2014.

O mês de março deste ano ainda foi beneficiado pelo calendário, já que no ano passado o Carnaval foi celebrado em março, o que diminuiu a base de comparação. Ao ajustar este efeito de calendário, a queda foi ainda maior: 12,5% pelo ICVA deflacionado e 10,5% em termos nominais.

“Os segmentos de Turismo e Vestuário estão entre os mais prejudicados. Em compensação, os segmentos de artigos de primeira necessidade, como Supermercados e Farmácias, apresentaram crescimento das vendas, em especial nas primeiras semanas de março”, afirma o diretor de Inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto.

“A queda foi resultado tanto da diminuição da demanda, já que os consumidores saíram menos às ruas, quanto da oferta, uma vez que muitos lojistas fecharam as portas, seja por iniciativa própria ou por determinação das autoridades governamentais”, completa Mariotto.

 Setores

Descontada a inflação, os blocos de Serviços e de Bens Duráveis apresentaram queda nas vendas, de 29,8% e 24%, respectivamente, na comparação com março de 2019. Apenas o grupo de setores de Bens Não Duráveis, onde estão Supermercados e Farmácias, apresentou crescimento (5,7%).

No bloco de Serviços, a maior queda foi verificada no segmento de Turismo e Transportes, enquanto no de Bens Duráveis, o segmento mais prejudicado foi o de Vestuário.

Regiões

Todas as regiões apresentaram queda em março, segundo ICVA deflacionado. A maior queda foi observada na região Sudeste: -17,1%. Na sequência aparecem as regiões Centro Oeste (-9,3%), Nordeste (-9,1%), Sul (-9,1%) e Norte (-6,0%).

– Comércio varejista nacional tem queda de 25,2% nas primeiras semanas da quarentena

– Empresas têm 30 dias para se cadastrar na plataforma consumidor.gov

Pelo ICVA nominal,que não considera o desconto da inflação, o destaque também foi a região Sudeste: -13,8%. Em seguida aparecem as regiões Nordeste (-6,5%), Sul (-6,2%) Centro-Oeste (-5,8%) e Norte (-1,6%).

Trimestre

As vendas no varejo, já com a inflação descontada, caíram 2,3%, sendo que o desempenho ruim verificado no mês de março, resultado da propagação da COVID19, foi o principal responsável pela desaceleração.

O bloco de Bens não Duráveis registrou leve alta, enquanto Serviços e Bens Duráveis apresentaram queda.

Por conta do forte impacto em março, a região Sudeste já apresentou retração nas vendas para o trimestre (-2,6%). As demais ainda registraram alta, lideradas pela região Norte, com 4,3%, seguida das regiões Nordeste (1,6%), Centro-Oeste (1,5%) e Sul (0,3%).

(com informações de assessoria)

 

 


Notícias do Mercado Moveleiro

Conheça nossas publicações:

eMobile

Atualizado diariamente por uma equipe de jornalistas profissionais, o Portal eMóbile agrega as notícias mais atuais e relevantes para os profissionais do setor moveleiro, sejam eles industriais, varejistas, marceneiros ou designers e arquitetos.


  • CONTATO
  • contato@revistamobile.com.br
  • Avenida Sete de Setembro
  • 6810, 2º andar - Cj 18
  • Seminário | 80240-001
  • Curitiba | Paraná
  • (41) 3340 4646